Sacola de Compras

* Calcule seu frete na página de finalização.

* Insira seu cupom de desconto na página de finalização.

10/02/2021

De onde surgiu a lenda do coelho da Páscoa?

Coelhinho da Páscoa que trazes pra mim? Um ovo, dois ovos, três ovos assim. Doce Mix que trazes pra mim? Uma história sobre o surgimento da lenda do coelho da Páscoa!

Quando somos crianças pequenas, temos em nosso imaginário um coelho de pelos branquinhos e com olhos vermelhos que come cenoura e entrega ovos de chocolate na manhã da Páscoa. A entrega acontece quando estamos dormindo, e ao acordamos encontramos várias pegadas do animal pela casa, seguimos elas até chegar na nossa cesta repleta de gostosura.

Há mais de 300 anos, essa lenda europeia se espalhou na América. E, hoje em dia, faz parte de uma tradição no Brasil e no mundo. Mas, como ela surgiu? Para saber, continue lendo.

Por que o coelho?

Inicialmente, nas origens cristãs, a lebre era associada a Páscoa. Porém, a figura foi substituída pelo coelho, um animal mais dócil e que se encaixava melhor na tradição moldada na comemoração doméstica.

O animal representa, desde antigamente, a fertilidade e o recomeço da vida, já que sua principal característica é a prática reprodutiva. Na época em que a lenda surgiu, a reprodução era muito valoriza por causa da alta taxa de mortalidade da época.

Em práticas religiosas dos povos germânicos na Europa, o coelho era símbolo do culto da deusa da fertilidade: Ostara ou Eostre. Na história, a deusa transformava um pássaro em coelho para levar diversão até as crianças. A ave não gostou da mudança e desejou voltar para a sua forma original. Como forma de agradecimento, deixou os ovos coloridos de presente a deusa Ostara que distribuiu entre as crianças.

O coelho é utilizado dessa forma pelo fato do mamífero ser o primeiro a sair das tocas e se reproduzir no final do Inverso e no início da Primavera. Essa estação também representa renovação e um novo ciclo.

As versões sobre o surgimento

Como todo conto, não se sabe ao certo qual é a história verdadeira. Por esse motivo, vamos contar quais as principais versões que existem sobre o coelhinho da Páscoa:

  • A primeira versão era contada dessa forma: dizem que uma mulher pobre escondeu os ovos coloridos para entregar aos seus filhos quando acordassem na manhã da Páscoa.

No momento em que as crianças acharam os ovos, um coelho enorme passou no local e deixou os presentes espalhados. Os filhos da mulher entenderam que o animal carregava os ovinhos e estava distribuindo-os.

  • A segunda versão é contada pelos imigrantes alemãs no século XVIII. Eles pintavam à mão os ovos de galinhas e escondiam em quintais enormes para as crianças procurarem. Nesses, havia animais que ‘participavam’ da brincadeira, que saiam de suas tocas e saltavam entre os pequenos.

Ao passar do tempo, os alemães juntaram o coelho e os ovos, dizendo que quem era responsável pela distribuição dos ovos da Páscoa era os coelhos.

  • A terceira versão diz a respeito dos povos germânicos e suas tradições. Esse ritual, também, se caracterizava na entrega de ovos de aves pintados à mão para as crianças que caçavam os coelhos para depois encontrar os ovos no meio do caminho.

A Páscoa para os cristãos

Para o Cristianismo, a Páscoa relembra a prisão, crucificação e a morte de Cristo, e representa a sua Ressurreição. Uma data muito importante no calendário religioso, já que a ressureição significa que Jesus traz a salvação para toda a humanidade.

Apesar disso, a celebração existia antes do nascimento de Cristo. Portanto, a Páscoa é uma festa cristã, mas com origem judaica. A festa era uma comemoração sobre o êxodo dos israelitas do Egito, quando ganharam liberdade e deixaram de serem escravos. Para esse povo, Páscoa surge da palavra ‘pessach’ que significa passagem.

A tradição do ovo da Páscoa

Notamos que o ovo estava em todas as versões da lenda da Páscoa. Visto que, o ovo representava o início da vida e da primavera para muitos povos europeus e americanos.

Por isso, as populações aproveitaram esse simbolismo e começaram a pintar os ovos à mão, principalmente da cor vermelha que fazia alusão ao sangue de Cristo.

O avanço dessa comemoração gerou um grande interesse do comércio, e assim, uma nova adaptação da Páscoa: os tradicionais ovos de chocolate. E, aos poucos, fomos transformando a celebração mais caseira e familiar e tornando um feriado doméstico.

 

Aprendemos muito sobre a lenda do coelhinho da Páscoa, não é mesmo? A jornada foi muito divertida e agora estamos preparados para seguir a tradição com as nossas famílias por mais um ano.